Últimas 100 Atualizações do Website via Twitter:

Pesquise todo o conteúdo do website Horus Strategy abaixo:
Loading

terça-feira, dezembro 20, 2005

Glóssário Financeiro - Termos Técnicos

Ação
Título negociável que representa a menor parcela em que se divide o capital de uma sociedade anônima.


Ação Cheia (com)
Ação com direitos (dividendos, juros sobre o capital, bonificação e subscrição) que ainda não foram exercidos.


Ação com Valor Nominal
Ação que tem um valor impresso estabelecido pelo estatuto da companhia que a emitiu.


Ação Escritural
É um tipo de ação em que a propriedade tem como característica o extrato de conta de depósito de seu titular em uma instituição designada para isso.


Ação Listada em Bolsa
Ação negociada no pregão de uma bolsa de valores.


Ação Nominativa
Tipo de ação que identifica o proprietário. A propriedade é considerada pela inscrição do nome do acionista no livro de Registro de Ações Nominativas.


Ação Objeto
Valor mobiliário a que se refere uma opção.


Ação Ordinária
Ação que proporciona participação nos resultados econômicos de uma empresa e confere a seu titular o direito de voto em assembléia.


Ação Preferencial
Ação que oferece a seu detentor prioridade no recebimento de dividendos e/ou, no caso de dissolução da empresa, no reembolso de capital. Em geral, não concede direito a voto em assembléia.


Ação Sem Valor Nominal
Ação para a qual não se convenciona valor de emissão. Prevalece o preço de mercado por ocasião do lançamento.


Ação Vazia (Ex-direito)
Ação cujos direitos (dividendo, bonificação, subscrição e outros) já foram exercidos.


Acionista
Aquele que possui ações de uma sociedade anônima.


Acionista Majoritário
Aquele que detém uma quantidade tal de ações com direito a voto e veto que lhe permite manter o controle acionário de uma empresa.


Acionista Minoritário
Aquele que é detentor de uma quantidade não expressiva, em termos de controle acionário, de ações com direito a voto.


Acordo da Basiléia
Acordo firmado em 1988 no âmbito do BIS (Bank of International Settlements – Banco de Compensações Internacionais) contendo resoluções para o requerimento de capital próprio das instituições financeiras em função do risco apresentado em suas operações financeiras.


Administrador
Responsável legal pelo fundo de investimento perante a CVM (Comissão de Valores Mobiliários), Banco Central e cotistas. Ele responde por qualquer inobservância ao regulamento, ou ato incorreto feito pelo gestor, e realiza o controle das cotas do fundo.


ADR (American Depositary Receipt)
Papel emitido e negociado nos Estados Unidos, com lastro em ações de empresas de outros países.


After-market
Pregão eletrônico noturno que ocorre todos os dias, exceto vésperas de feriados, após o fechamento do pregão regular e onde se negociam apenas ações à vista e dentro de uma oscilação máxima de 2% em relação ao fechamento da sessão normal.


Ágio
Aumento do valor nominal de um título ou do preço de tabela de uma mercadoria em relação ao seu valor real no mercado. Inverso de deságio.


Alavancagem
Nível de utilização de recursos de terceiros para aumentar as possibilidades de lucro de uma empresa ou investidor aumentando, conseqüentemente, o grau de risco da operação. Possibilidade de controle de um lote de ações com o emprego de uma fração de seu valor (nos mercados de opções, termo e futuro), enquanto o aplicador se beneficia da valorização desses papéis, que pode implicar significativa elevação de sua taxa de retorno (ou redução, caso o preço do ativo se comporte adversamente).


Alca (Área de Livre Comércio das Américas)
Organismo proposto pelos Estados Unidos no início dos anos 90 com o objetivo de integrar comercialmente os países das Américas, especialmente os que integram o Nafta (Acordo de Livre Comércio da América do Norte) e o Mercosul (Mercado Comum do Sul).


Alfa
Originalmente, medida de retorno do investimento de uma ação em relação ao S&P500 - índice criado pela consultoria americana Standard & Poor´s que mostra o desempenho das 500 empresas líderes em setores mais importantes da economia dos Estados Unidos. Atualmente, trata-se de um coeficiente que avalia qual será o retorno líquido de um investimento, considerando o risco dele.


Amortização
Redução gradual de uma dívida por meio de pagamentos periódicos combinados entre o credor e o devedor. Em contabilidade, usa-se o termo para designar retiradas anuais para atender à depreciação de certos bens ativos, como móveis e maquinaria.


Andar de Lado
Mercado fraco, sem tendência definida, estagnado.


ANA (Aviso de Negociação de Ações)
Comprovante de operação enviado pela bolsa de valores ao comitente (investidor).


Análise Fundamentalista
Método de análise que envolve a precificação de ativos de renda variável através da utilização de técnicas de avaliação de múltiplos, fluxo de caixa descontado e a elaboração de cenários para a evolução da lucratividade e geração de caixa das empresas.


Análise Técnica
Método de análise do movimento do preço das ações que considera única e exclusivamente os preços e volumes registrados (representados na forma de gráficos) para determinar a formação de tendências de comportamento do preço da ação.


Anbid (Associação Nacional dos Bancos de Investimento e Desenvolvimento)
Entidade formada por diversas instituições financeiras, principalmente bancos de investimento. A sede fica no Rio de Janeiro.


Andima (Associação Nacional de Instituições de Mercado Aberto)
Instituição sem fins lucrativos que congrega bancos comerciais, de investimento e corretoras de valores com a finalidade de desenvolver novos produtos e serviços para o mercado no qual está inserida. Nos últimos anos, tem se dedicado especialmente ao desenvolvimento de sistemas eletrônicos de operações.


Anexo 4
Dispositivo regulamentado pelo Banco Central que permite a entrada de capital estrangeiro para investimento em ações.


Aplicação
Emprego da poupança na aquisição de títulos com objetivo de obter rendimentos.


Apregoação
Ato de apregoar a compra ou a venda de ações, mencionando-se o papel, o tipo, a quantidade de títulos e o preço pelo qual se pretende fechar o negócio, executado por um operador, representante de sociedade corretora, na sala de negociações (pregão).


Arbitragem
Operação na qual um investidor obtém lucro sem risco, realizando transações simultâneas em dois ou mais mercados. A sistemática possibilita a liquidação física e financeira das operações interpraças, por meio da qual a mesma pessoa, física ou jurídica, atuando no mercado à vista, poderá comprar em uma bolsa e vender em outra a mesma ação, em quantidades iguais, desde que haja convênio firmado entre as duas bolsas.


Assembléia Geral Extraordinária (AGE)
Reunião dos acionistas, convocada e instalada na forma da lei e dos estatutos, com o objetivo de deliberar sobre qualquer matéria de interesse social. Sua convocação não é obrigatória, depende das necessidades específicas da empresa.


Assembléia Geral Ordinária (AGO)
Convocada obrigatoriamente pela diretoria de uma sociedade anônima para verificação dos resultados, leitura, discussões, votação dos relatórios de diretoria e eleição do conselho fiscal e da diretoria. Deve ser realizada até quatro meses após o encerramento do exercício social.


At the Money (No Preço)
Opção de compra ou de venda, cujo preço de exercício é igual ao preço à vista em que está sendo negociada a ação-objeto.


Ativo Financeiro
Todo e qualquer título representativo de parte patrimonial ou dívida.


Aumento de Capital
Incorporação de reservas e/ou novos recursos ao capital da empresa, via emissão de novas ações. Realizado, em geral, mediante bonificação, elevação do valor nominal das ações e/ou direitos de subscrição pelos acionistas, ou também pela incorporação de outras empresas.


Aumento do Valor Nominal
Alteração do valor nominal da ação em conseqüência de reservas ao capital de uma empresa sem emissão de novas ações.


Aval
Garantia dada por um avalista, sob a forma de sua assinatura em um documento, título, contrato comercial ou financeiro, obrigando-se a pagar uma dívida se o titular da mesma não o fizer.


Back-office
Setores de contabilidade e processamento existentes nas instituições financeiras.


Balancete
Balanço parcial da situação econômica e do estado patrimonial de uma empresa, referente a um período de seu exercício social.


Balanço Social
Demonstrativo contábil dos valores do ativo, do passivo e do patrimônio líquido de uma entidade jurídica, relativo a um exercício social completo.


BC (Banco Central do Brasil)
Órgão federal que executa a política monetária do governo, administra as reservas internacionais do país e fiscaliza o Sistema Financeiro Nacional.


Bear Market
Literalmente "mercado de urso" ou mercado baixista. Seu oposto é o Bull Market - “mercado de touro" ou mercado altista. A origem dos termos vem do movimento de ataque do urso com sua pata - de cima para baixo - e do movimento de ataque do touro com seu chifre - de baixo para cima.


Benchmarking
Processo de medição, através de comparação, de produtos, serviços e processos, em relação a empresas identificadas como "melhores da classe ou setor" com a finalidade de melhoria da organização. A idéia básica é eleger um modelo e seguir em busca de igualação ou superação a esse modelo (Benchmark).


Benefícios
Dividendos, bonificações e/ou direitos de subscrição distribuídos por uma empresa a seus acionistas. O mesmo que direitos e proventos.


Beta
Termo analítico usado para comparar o preço de uma ação em relação ao mercado. A comparação é feita entra a ação e o Índice Bovespa (no caso brasileiro), que funciona como ponto de referência com Beta igual a 1. Uma ação específica mais volátil que o índice teria um Beta superior a 1, isto é, sua cotação aumentaria ou cairia com mais amplitude que o índice. Em geral, as ações com Beta > 1 são mais arriscadas e as com Beta < 1 são mais seguras e suas oscilações menos pronunciadas.


BIS (Bank of International Settlement)
Banco de Compensações Internacionais. É uma organização de nível internacional que tem como principal função estimular a cooperação entre os bancos centrais dos países e outras agências financeiras. Um de seus principais objetivos é buscar a estabilidade monetária e financeira.


Block Trade (Transação em Bloco)
Expressão inglesa que designa uma transação de grande lote de ações de uma só vez.


Bloqueio de Posição
Operação pela qual um aplicador impede o exercício de sua posição mediante a compra, em pregão, de uma opção da mesma série da anteriormente lançada.


Blue Chip
Em geral, ações de empresas tradicionais de grande porte, com grande liquidez e procura no mercado de ações.


Bolsa de Valores
Associação civil sem fins lucrativos, cujos objetivos básicos são, entre outros, manter local ou sistema de negociação eletrônico, adequados à realização, entre seus membros, de transações de compra e venda de títulos e valores mobiliários; preservar elevados padrões éticos de negociação; e divulgar as operações executadas com rapidez, amplitude e detalhes.


Bonificação em Ações (Filhotes)
Ações emitidas por uma empresa em decorrência de aumento de capital, realizado por incorporacão de reservas e/ou de outros recursos, e distribuídas gratuitamente aos acionistas, na proporção da quantidade de ações que já possuem.


Bonificação em Dinheiro
Distribuição aos acionistas, além dos dividendos, de valor em dinheiro referente a reservas até então não incorporadas.


Bônus de Subscrição
É um título emitido por uma empresa que pode ser negociado e que dá direito ao seu titular de subscrever ações, de acordo com as condições expressas em um certificado, a um preço fixado.


Bookbuilding
Processo de formação de preços, normalmente através de um leilão de oferta, que auxilia na definição da remuneração e outras características de títulos e valores mobiliários, de forma a refletir as condições de mercado por ocasião de sua efetiva colocação à venda.


Boom
Fase no mercado de ações em que o volume de transações ultrapassa acentuadamente os níveis médios em determinado período, com expressivo aumento das cotações.


Box
Negociação simultânea, em pregão, de um "spread" altista de opção de compra e um "spread" baixista de opção de venda, ou vice-versa, ambos envolvendo os mesmos preços de exercício, quantidade de opções e vencimento. A apregoação (divulgação) dá-se pelo saldo líquido dos prêmios das séries de opções envolvidas na operação.


Bradies ou Brady Bonds
Bônus da dívida externa brasileira criados na adesão do Brasil ao Plano Brady (ex-secretário do Tesouro dos Estados Unidos) em 1994. Os principais são o C-Bond (Capitalization Bond), IDU (Interest Due and Unpaid), EI (Elegible Interest) e Par Bond (Bônus ao Par).


Break Even
Expressão em inglês utilizada no mercado financeiro quando uma transação de compra ou venda de títulos se realiza sem lucro ou prejuízo, no Break Even Point, ou ponto de equilíbrio.


BTC (Banco de Títulos CBLC)
Serviço oferecido pela CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia), no qual os investidores têm a possibilidade dedisponibilizar suas ações custodiadas na Bovespa (doadores) para empréstimo (aluguel) a outros investidores interessados (tomadores).


Bull Market
Literalmente "mercado de touro", ou mercado altista. Seu oposto é o Bear Market – “mercado de urso" ou mercado baixista. A origem dos termos vem do movimento de ataque do touro com seu chifre - de baixo para cima - e do movimento de ataque do urso com sua pata - de cima para baixo.


Cadastro de Clientes
Conjunto de dados e informações gerais sobre a qualificação dos clientes das sociedades corretoras.


Call
A tradução literal é "chamada" e, no mercado financeiro, tem dois significados. O primeiro é a opção de comprar um título ou ativo a preço e num prazo pré-determinado (opção de compra); o segundo significado é o processo de remissão de um título antes de seu prazo de vencimento conforme condições acordadas na altura da emissão do título.


Callable
Deriva do verbo to call (chamar). Significa resgatável e, referindo-se a um título, indica que o mesmo é resgatável nas condições determinadas na sua emissão.


Capital
É a soma de todos os recursos, bens e valores, mobilizados para a constituição de uma empresa.


Capital Aberto (Companhia de)
Empresa que tem suas ações registradas na CVM (Comissão de Valores Mobiliários) e distribuídas entre um determinado número de acionistas. Elas podem ser negociadas em bolsas de valores ou no mercado de balcão.


Capital Autorizado
Limite estatutário, de competência de assembléia geral ou do conselho de administração, para aumentar o capital social de uma empresa.


Capital Fechado (Companhia de)
Empresa com capital de propriedade restrita, cujas ações não são negociadas em bolsas de valores ou no mercado de balcão.


Capital Social
Montante de capital de uma sociedade anônima que os acionistas vinculam a seu patrimônio como recursos próprios destinados ao cumprimento dos objetivos da mesma.


Capital Social Subscrito a Integralizar
Parcela de subscrição que o acionista deverá pagar de acordo com determinação do órgão que autorizou o aumento de capital de uma sociedade.


Capital Social Subscrito e Realizado
Montante de capital social acrescido da parcela de subscrição paga pelo acionista.


Capitalização
Ampliação do patrimônio, via reinversão de resultados ou captação de recursos, pela emissão de ações.


Captação
Obtenção de recursos para aplicação a curto, médio e/ou longo prazos.


Carteira de Ações
Conjunto de ações de diferentes empresas de propriedade de pessoas físicas ou jurídicas.


Carteira de Títulos
Conjunto de títulos de rendas fixa e variável, de propriedade de pessoas físicas ou jurídicas. Também chamado de portfólio.


Casamento de Opções (Straddle)
Compra ou venda, por um mesmo investidor, de igual número de opções de compra (call) e de venda (put) de ações sobre a mesma ação-objeto e com idêntico preço de exercício e data de vencimento.


Caução
Depósito em valores, títulos ou hipotecas para garantir o cumprimento de um contrato.


Cautela
Certificado que materializa a existência de determinado número de ações. Também chamado título múltiplo.


C-Bond (Capitalization Bond)
Bônus criado no âmbito do Plano Brady de renegociação da dívida externa brasileira. O C-Bond foi emitido em abril de 1994 pelo valor total de US$ 7,4 bilhões, com vencimento em abril de 2014, para pagamento de 21 parcelas semestrais a partir de abril de 2004, juros crescentes a partir de 4% para as primeiras parcelas e de até 8% para as últimas.


CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia)
Instituição auto-reguladora, supervisionada pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários), que presta serviços de compensação, liquidação e controle de risco das operações. A CBLC também presta o serviço de Custódia Fungível de ativos e administra o BTC (Banco de Títulos).


CDB (Certificado de Depósito Bancário)
Título emitido por bancos de investimento e comerciais, representativo de depósitos a prazo.


CDI (Certificado de Depósito Interbancário)
Certificado negociado exclusivamente entre bancos. Essas transações são fechadas por meio eletrônico e registradas nos computadores das instituições envolvidas e nos terminais do Cetip (Central de Custódia e Liquidação de Títulos). Normalmente, são operações de um dia. A taxa média diária do CDI de um dia é utilizada como referencial para o custo do dinheiro (juros). Por este motivo, esta taxa também é utilizada como referencial para avaliar a rentabilidade das aplicações em renda fixa.


CEO (Chief Executive Officer)
Cargo executivo máximo de uma empresa. Geralmente é traduzido para o português como Diretor Presidente.


Certificado
Documento que comprova a existência e a posse de determinada quantidade de ações.


Certificado de Depósito
Título representativo das ações depositadas em uma instituição financeira. Algumas empresas do Mercosul são negociadas nas bolsas de valores brasileiras por meio desse mecanismo.


Certificado de Desdobro
Comprovante do desdobramento de um certificado de ações em vários outros.


Cetip (Central de Custódia e Liquidação de Títulos)
Foi criada pelas instituições financeiras e o Banco Central com o objetivo de realizar a custódia, o registro e a liquidação financeira das operações feitas com papéis privados. As operações são garantidas na Cetip, porque quem compra tem a certeza de que o título é válido e quem está vendendo garante o recebimento do valor.


CFO (Chief Financial Officer)
Cargo máximo da área financeira de uma empresa. Geralmente traduzido para o português como Diretor Financeiro.


Chamada de Bônus
Resgate de bônus pelo emitente mediante o pagamento antes do vencimento (put).


Chamada de Capital
Subscrição de ações novas, com ou sem ágio, para aumentar o capital de uma empresa.


Circuit-breakerO pregão é imediatamente interrompido todas as vezes que o índice tenha queda de um determinado valor percentual. A regra é adotada pelas principais bolsas de valores.


Cisão
É o processo de transferência por uma empresa de parcelas de seu patrimônio a uma ou mais sociedades, já existentes ou constituídas para esse fim. Se todo seu patrimônio for transferido essa empresa será extinta.


Clube de Investimentos
Grupo de pessoas físicas (máximo de 150) que aplica recursos de uma carteira diversificada de ações e títulos de renda fixa, administrada por uma instituição financeira autorizada (Sociedade Corretora ou Banco de Investimento).


CMN (Conselho Monetário Nacional)
Órgão federal responsável pela formulação da política da moeda e do crédito e pela orientação, regulamentação e controle de todas as atividades financeiras desenvolvidas no país.


CNBV (Comissão Nacional de Bolsas de Valores)
Associação civil sem fins lucrativos que tem a função de representar os interesses das bolsas de valores do país perante as autoridades monetárias e reguladoras do mercado.


Colateral
Ativos (geralmente títulos) caucionados em garantia do pagamento de um empréstimo. Geralmente seu valor é igual ou superior ao valor do empréstimo.


Colocação Direta
Aumento de capital realizado pela subscrição de ações, pelos atuais acionistas, diretamente em uma empresa.


Colocação Indireta
Aumento de capital realizado mediante subscrição, no qual a totalidade das ações é adquirida por uma instituição financeira ou por um grupo reunido em consórcio para posterior colocação no mercado secundário.


Combinação de Opções
Compra ou venda de duas ou mais séries de opções sobre a mesma ação-objeto, porém com preços de exercício e/ou datas de vencimento diferentes.


Comitente
Pessoa que encarrega uma outra de comprar, vender ou praticar qualquer ato sob suas ordens e por sua conta, mediante certa remuneração a que se dá o nome de comissão.


Commercial Papers
Título de captação de recursos para empresas sob a forma de notas promissórias. O processo de emissão é mais rápido e barato do que outros títulos, como debêntures. O prazo de vencimento geralmente é de 180/360 dias.


Commodity
Nas relações comerciais internacionais, o termo designa mercadorias em estado bruto, como café e suco de laranja. Termo também utilizado como referência a ativos e mercadorias sem valor agregado, ou seja, com pequeno grau de beneficiamento ou industrialização (exemplos: carne e ouro).


Compra em Margem
Aquisição de ações à vista, com recursos obtidos pelo investidor, por meio de um financiamento com uma sociedade corretora que opere em bolsa. É uma modalidade de operação da Conta Margem.


Concordata
Recurso jurídico que permite a continuação do funcionamento da empresa insolvente. Existe a "preventiva", utilizada antes da falência, e a "suspensiva", que surge durante o processo de falência, permitindo recolocar a empresa em funcionamento.


Conta investimento
É uma conta corrente de depósitos para investimento para realização de aplicações financeiras, sem retenção de CPMF. Foi criada pela Lei nº. 10.892, de 13 de julho de 2004, ajustada pela Medida Provisória nº. 206, de 6 de agosto de 2004, e regulamentada pela Receita Federal pela Instrução Normativa nº. 450, de 21 de setembro de 2004. Esta conta passou a ser utilizada a partir de 1º de outubro de 2004.


Conta Margem
Forma de negociação de ações que possibilita ao investidor obter, em uma sociedade corretora, financiamento para compra dos títulos e/ou empréstimo dos papéis para venda. Essas operações são feitas no mercado à vista da bolsa. O custo e liquidação do financiamento, bem como a remuneração do empréstimo dos títulos e sua devolução, são pactuados diretamente entre o investidor e a corretora.


Controle Acionário
Posse, por um acionista ou grupo de acionistas, da maior parcela de ações com direito a voto de uma empresa, garantindo o poder de decisão.


Conversão
Mudança das características de um título. No caso de ações, pode ser sua transformação quanto à forma (de nominativa para escritural) ou espécie (de ordinárias em preferenciais ou vice-versa). Dependendo de deliberação de assembléia geral extraordinária e do disposto no estatuto social de uma sociedade anônima.


Conversibilidade
Situação em que a moeda de um país é aceita para negociação nas principais praças financeiras do mundo. É o principal fator que determina se uma moeda é forte ou não.


Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central)
Comitê que tem por objetivo estabelecer as diretrizes da política monetária e definir a taxa básica de juros. O comitê, instituído em 20 de junho de 1996, estabelece o valor da taxa Selic que deve vigorar no período entre suas reuniões. Em alguns casos, o Copom divulga ainda o viés da taxa Selic, apontando para uma tendência futura de alta ou queda. A taxa Selic é a média ajustada dos financiamentos diários apurados no Selic (Sistema Especial de Liquidação de Custódia) para títulos federais.


Corretagem
Taxa de remuneração de um intermediário financeiro na compra ou venda de títulos.


Corretor
Intermediário na compra e venda de títulos.


Corretora
Instituição auxiliar do sistema financeiro que opera no mercado de capitais com títulos e valores mobiliários, em especial no mercado de ações. É a intermediária entre os investidores nas transações em bolsas de valores. Administra carteiras de ações, fundos mútuos e clubes de investimentos, entre outras atribuições.


Cotação
Preço registrado quando da negociação com títulos em bolsa de valores.


Cotação Máxima
Maior cotação atingida por um título no decorrer de um dia de negociação.


Cotação Média
Cotação média de um título constatada no decorrer de um dia de negociação.


Cotação Mínima
Menor cotação atingida por um título no decorrer de um dia de negociação.


Cotação de Abertura
Cotação de um título na primeira operação realizada em um dia de negociação.


Cotação de Fechamento
Última cotação de um título em um dia de negociação.


Crash
Denominação dada a uma forte queda nas bolsas de valores em meio a uma crise sistêmica. O crash mais famoso foi o da Bolsa de Nova York em 1929, iniciando a grande depressão americana.


Currency Board
A principal característica é a garantia de conversão da moeda nacional em uma determinada moeda forte a uma taxa de câmbio fixa. A emissão da moeda nacional é feita contra lastro em moeda forte mantida em reserva. As emissões no Currency Board não são fiduciárias, sua aceitação decorre do fato de a moeda ser conversível a qualquer momento e em qualquer quantidade por moeda forte, que se encontra em reserva.


Custódia de Títulos
Serviço de guarda de títulos e de exercício de direitos prestados aos investidores.


Custódia Fungível
Serviço de custódia no qual os valores mobiliários retirados podem não ser os mesmos depositados, embora sejam das mesmas espécies, qualidade e quantidade. Deixa de existir a necessidade de se retirar exatamente o mesmo certificado depositado.


Custódia Infungível
Serviço de custódia no qual os valores mobiliários depositados são mantidos discriminadamente pelo depositante.


CVM (Comissão de Valores Mobiliários)
Órgão federal, com sede no Rio de Janeiro, que disciplina e fiscaliza o mercado de valores mobiliários.


Data de Exercício da Opção
Dia em que o detentor exerce seu direito de comprar ou vender a ação-objeto da opção no mercado à vista.


Data de Vencimento da Opção
Dia em que se extingue o direito de uma opção. A partir da data de vencimento extingue-se o direito do detentor exercer a compra ou venda da ação-objeto no mercado à vista. Existem dois tipos de opções: Americana (adotada no mercado brasileiro), na qual o detentor do direito pode exercê-lo até a data de vencimento; e Européia, na qual o detentor do direito pode exercê-lo apenas na data do vencimento. Na Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo), a data de vencimento corresponde à quarta-feira mais próxima do dia 15 de todos os meses.


Data Ex-Direito
É a data em que uma ação, com direitos já exercidos, começará a ser negociada na bolsa de valores.


Day Trade
Compra e venda de um título no mesmo dia.


Debênture
Título de dívida de médio e longo prazo emitido por empresas de capital aberto ou fechado, geralmente utilizado no financiamento de projetos, na reestruturação de passivos ou no aumento de capital de giro da empresa emissora. A debênture representa uma fração do total da dívida contraída pela companhia no ato da emissão e pode ser negociada no mercado secundário. As debêntures conversíveis são aquelas que por opção de seu portador podem ser convertidas em ações, em épocas e condições pré-determinadas na escritura da emissão. Já as simples não dispõem deste tipo de mecanismo.


Debêntures Conversíveis em Ações
Aquelas que por opção de seu portador podem ser convertidas em ações, em épocas e condições pré-determinadas.


Deduções Estatutárias
Parte dos lucros de uma empresa que conforme determinação de seu estatuto social não é distribuída aos acionistas.


Default
Declaração de insolvência do devedor decretada pelos credores quando as dívidas não são pagas nos prazos estabelecidos.


Delta
É um indicador que mostra a variação do preço de uma opção, de compra ou venda, de ação em relação à própria ação.


Democratização do Capital
Processo pelo qual a propriedade de uma empresa fechada se transfere, total ou parcialmente, para um grande número de pessoas. Estes investidores não mantêm, necessariamente, relações entre si, com o grupo controlador ou com a própria companhia.


Dentro do Preço (In the money)
Opção cujo preço de exercício é inferior ao preço à vista da ação-objeto, no caso de opção de compra (call), ou superior no caso de opção de venda (put).


Derivativos
São operações feitas no mercado financeiro cujos valores e características de negociação estão amarrados aos ativos que lhes servem de referência, ou seja, derivam de outro ativo. Como exemplo, podemos citar as opções de Telemar que derivam da ação Telemar.


Deságio
Depreciação do valor nominal de um título ou do preço de tabela de uma mercadoria em relação ao seu valor real no mercado. Inverso de ágio.


Diferencial
Combinação de possíveis compras e vendas de opções sobre a mesma ação-objeto, porém de séries diferentes.


Direito de Retirada
Direito de um acionista de se retirar de uma empresa, mediante o reembolso do valor de suas ações, quando for dissidente de deliberação de assembléia com aprovação de determinadas matérias (definidas na legislação pertinente).


Direito de Subscrição
Direito de um acionista de subscrever preferencialmente novas ações de uma sociedade anônima quando do aumento de seu capital.


Direitos
Dividendos, bonificações e/ou direitos de subscrição distribuídos por uma empresa a seus acionistas. O mesmo que benefícios e proventos.


Direta
A negociação direta é uma operação feita no pregão da bolsa de valores ou na negociação eletrônica, na qual a corretora atua simultaneamente como compradora e vendedora, representando diferentes clientes.


Disclosure
Divulgação de informação por parte de uma empresa possibilitando uma tomada de decisão consciente pelo investidor e aumentando sua proteção.


Disponibilidades
É uma conta do Ativo que engloba os recursos líquidos e disponíveis para a empresa. São exemplos destes recursos dinheiro, aplicações financeiras de liquidez imediata, cotas de fundos de investimento e títulos de imediata comercialização.


Distribuidora
É uma instituição que participa do sistema de intermediação de ações e de outros títulos no mercado primários, colocando-os à venda para o público.


Dividendo
É o chamado ganho corrente na ação. Valor distribuído aos acionistas, em dinheiro, na proporção da quantidade de ações possuídas. A decisão de pagamento de dividendos passa pela capacidade de geração de caixa e saúde financeira da empresa. O valor a ser pago pode ser fixado em função de parcela (%) do lucro líquido do exercício, parcela da geração de caixa livre, parcela do capital social ou um evento extraordinário.


Dividendo Cumulativo
Dividendo que se transfere para outro exercício caso não seja pago no período determinado.


Dividendo Pró-rata
Dividendo distribuído às ações emitidas dentro do exercício social, proporcional ao tempo que passou até o seu encerramento.


Ebitda (Earnings Before Interest Taxes Depreciation and Amortization)
Sigla em inglês que representa o lucro de determinada empresa antes da contabilização dos resultados financeiros, depreciação, amortização e pagamento de juro. Expressa a geração operacional de caixa de uma empresa.


Emissão
Colocação de dinheiro ou títulos em circulação.


Encerramento de Posição
As posições a futuro (de compra ou de venda) podem ser encerradas antecipadamente se o investidor realizar uma operação inversa. Caso tenha opções de compra de um ativo, título ou valor mobiliário, o investidor assume uma posição de venda e antecipa o encerramento desse investimento.


Endosso
Transferência da propriedade de um título mediante declaração escrita. Geralmente feita em seu próprio verso.


Especulação
Negociação em mercado com o objetivo de ganho, em geral, a curto prazo.


Ex-direitos
Denominação dada a uma ação que teve os direitos (dividendos, juros sobre o capital, bonificação ou subscrição) exercidos, ou seja, recebidos pelo titular.


Exclusão do Direito de Preferência
O estatuto da empresa aberta que contiver autorização para aumento do capital pode prever a emissão, sem direito de preferência, para antigos possuidores de ações, de debêntures ou partes beneficiárias conversíveis em ações.


Exercício de Opções
Operação pela qual o titular de uma operação exerce seu direito de comprar ou de vender o lote de ações-objeto ao preço de exercício, previamente estipulado.


Execução de Ordem
Efetiva realização de uma ordem de compra ou venda de valores mobiliários.


Fechamento de Posição
Operação pela qual o lançador de uma opção, pela compra em pregão de uma outra opção da mesma série, encerra suas posições ou parte delas. A mesma operação vale para o titular de uma opção, quando vende opções adquiridas.


Fechamento em Alta
Quando o índice de fechamento for superior ao índice de fechamento do pregão anterior.


Fechamento em Baixa
Quando o índice de fechamento for inferior ao índice de fechamento do pregão anterior.


Filhote
São ações emitidas por uma empresa em decorrência do aumento de capital, quando ocorre incorporacão de reservas e/ou de outros recursos. Os filhotes são distribuídos gratuitamente aos acionistas, na proporção da quantidade de ações que já possuem. Também denominada Bonificação em Ações.


FITVM (Fundo de Investimento em Títulos e Valores Mobiliários)
É uma comunhão de recursos, destinados à aplicação em carteira diversificada de títulos e valores mobiliários, constituído sob a forma de condomínio aberto ou fechado. Deverá manter, diariamente, no mínimo 51% de seu patrimônio aplicado em ações de emissão das companhias abertas, opções de ações, índices de ações e opções sobre índices de ações.


Fluxo de Caixa
São as entradas e saídas de dinheiro do caixa de uma empresa. É uma medida importante para se determinar o valor de uma empresa, através do método do fluxo de caixa descontado. Esse método mostra, em valores do dia, todas as projeções de entradas e saídas de dinheiro do caixa de uma empresa. A importância do fluxo de caixa descontado é poder informar o grau de atratividade de uma oportunidade de investimento.


Fora do Preço (Out of the Money)
Opção cujo preço de exercício é superior ao preço à vista da ação-objeto, no caso de opção de compra (call), ou inferior, no caso de opção de venda (put).


Free Float
Quantidade de ações de uma empresa em circulação no mercado de posse dos minoritários. Referem-se às ações em circulação de posse do público e fora do bloco de controle acionário.


Fundo 157
É um fundo, já extinto, referente aos impostos devidos por pessoas que declararam Imposto de Renda nos exercícios do período de 1967 a 1983. Somente as pessoas que declararam IR nesse período podem, ainda, possuir aplicação no referido fundo e pedir o resgate dos valores. Não existe prazo para o resgate do investimento.


Fundo Imobiliário
Fundo de investimento constituído sob a forma de condomínio fechado (ou seja, suas quotas não podem ser resgatadas, a não ser pelo término do prazo de duração ou pela liquidação do fundo). O patrimônio do fundo é destinado a aplicações em empreendimentos imobiliários. As quotas são registradas na CVM (Comissão de Valores Mobiliários), podendo ser negociadas em bolsa de valores ou no mercado de balcão.


Fundo de Ações
É um fundo de investimento em que a carteira de títulos e valores mobiliários mantém aplicações de no mínimo 80% em ativos relacionados diretamente ou sintetizados, via derivativos, no fator de risco que dá nome à classe. Esse fundo deve também possuir no mínimo 67% da carteira em ações admitidas à negociação no mercado à vista da bolsa de valores ou entidade do mercado de balcão organizado.


Fundo de Pensão
Entidade que administra um conjunto de recursos proveniente de contribuições de empregados e da própria empresa. Os recursos destinam-se à aplicação em uma carteira diversificada de ações, outros títulos mobiliários e imóveis que garantirão a aposentadoria de seus participantes.


Fundo Mútuo de Investimento em Empresas Emergentes
Constituído sob a forma de condomínio fechado, é uma comunhão de recursos destinados à aplicação em carteira diversificada de valores mobiliários de emissão de empresas emergentes. Entende-se como empresa emergente uma companhia que satisfaça os seguintes parâmetros: tenha faturamento líquido anual consolidado inferior a R$ 60 milhões e não seja integrante de grupo de sociedades com patrimônio líquido superior a R$ 120 milhões.


Governança Corporativa
Conjunto de práticas entre acionistas, conselho de administração, diretoria e auditoria a fim de otimizar o desempenho da empresa. Esta prática abrange questões relativas ao poder de controle e direção de uma empresa. A governança corporativa proporciona aos proprietários a gestão estratégica de sua empresa e maior transparência no acesso às informações financeiras de uma companhia.


Hedge
Operação financeira realizada com o intuito de proteger um investimento, diminuindo seu risco. Esse movimento de proteção é chamado, no jargão do mercado, de "fazer um hedge" ou "se hedgear". Na prática, o hedge pode ser feito através de operações nos mercados derivativos (opções e futuros) ou ainda assumindo uma posição em outro ativo que tenha comportamento inverso ao do ativo que se queira proteger. Dessa forma, o ganho que se teria no ativo que está sendo "hedgeado" será menor, mas, em contrapartida, seu risco também será diminuído.


Holding
É uma empresa que possui como atividade principal participação acionária em uma ou mais empresas.


HomeBroker
É o sistema de operações que os investidores utilizam para ter acesso direto ao pregão eletrônico da Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo), por meio da internet. Esta modalidade de operação foi criada em 1999 pela Bovespa. O HomeBroker permite a compra e venda de ativos, como ações e opções, e operações na BM&F (Bolsa de Mercadorias & Futuros).


In the Money (Dentro do preço)
Opção cujo preço de exercício é inferior ao preço à vista da ação-objeto, no caso de opção de compra (call), ou superior, no caso de opção de venda (put).


Insider
Investidor que tem acesso privilegiado a determinadas informações, antes que estas se tornem conhecidas no mercado.


Institucional (Investidor)
Instituição que dispõe de grande recurso financeiro, mantido em certa estabilidade e destinado à reserva de risco. Ou a renda patrimonial que investe parte dos mesmos no mercado de capitais.


Investimento
Emprego da poupança em atividade produtiva com o objetivo de obter ganhos a médio ou longo prazo. O termo também é utilizado para designar a aplicação de recursos em algum tipo de ativo financeiro.


IPO (Initial Public Offering)
Em português traduzido é como Oferta Pública de Ações. É o chamado mercado primário onde são emitidas novas ações em circulação da empresa emissora.


Juro
Custo ou preço do dinheiro. É a remuneração que o detentor do dinheiro recebe por abrir mão dele por um período de tempo. O valor do juro (seu percentual) é considerado como o custo ou preço do dinheiro. Como qualquer outro bem na economia, o custo do dinheiro (taxa de juro) é determinado pela oferta e procura.


Lançador
No mercado de opções o lançador é aquele que vende a opção.


Lançamento de Opções
Operação de venda que dá origem às opções de compra ou de venda.


Lance
Preço oferecido em pregão para a compra ou venda de um lote de títulos pelos representantes das sociedades corretoras.


Leilão Especial
Sessão de negociação em pregão cujo dia e hora são determinados pela bolsa de valores em que se realizará a operação.


Letra de Câmbio
Título de crédito, emitido por sociedades de crédito, financiamento e investimento, utilizado para o financiamento de crédito direto ao consumidor.


Letra Imobiliária
Título emitido por sociedades de crédito imobiliário destinado à captação de recursos para o financiamento de construtores e adquirentes de imóveis.


Liquidez
Maior ou menor facilidade de se negociar um título, convertendo-o em dinheiro.


Lote
Quantidade de títulos de características idênticas.


Lote Fracionário
Quantidade de ações inferior ao lote-padrão.


Lote Redondo
Lote totalizando um número inteiro de lotes-padrões.


Lote-Padrão
Lote de títulos de características idênticas e em quantidade pré-fixada pelas bolsas de valores.


Lucratividade
Ganho líquido total propiciado por um título. Em bolsa, o lucro líquido proporcionado por uma ação é resultante de sua valorização em pregão em determinado período e do recebimento de proventos (dividendos, bonificações e/ou direitos de subscrição) distribuídos pela empresa emissora, no mesmo intervalo de tempo.


Lucratividade Média
Média das lucratividades alcançadas por um título em diversos períodos.


Lucro Líquido por Ação
Ganho por ação obtido durante um determinado período de tempo, calculado por meio da divisão do lucro líquido de uma empresa pelo número existente de ações.


Margem
No mercado de futuros significa um depósito (em dinheiro, valores mobiliários ou outros instrumentos) exigido pelo sistema de compensações de futuros com o objetivo de assegurar o cumprimento. Já no mercado de ações, margem é um valor depositado pelo cliente quando este solicita empréstimo a um corretor da bolsa para comprar ações.


Mega Bolsa
Sistema de negociação da Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) que engloba o pregão viva-voz e os terminais remotos, visando ampliar a capacidade de registro de ofertas e a realização de negócios em um ambiente tecnologicamente avançado.


Mercado a Termo
É um mercado em que os negócios, realizados na Bolsa de Valores ou na de Mercadorias, são feitos com um vencimento futuro acordado entre as partes. A diferença para o Mercado Futuro é que o preço só é pago no dia do vencimento, sem os ajustes diários.


Mercado à Vista
Mercado no qual a liquidação física (entrega dos títulos pelo vendedor) se processa no segundo dia útil após a realização do negócio em pregão e a liquidação financeira (pagamento dos títulos pelo comprador) se dá no terceiro dia útil posterior à negociação, somente mediante a efetiva liquidação física.


Mercado de Ações
Segmento do mercado de capitais que compreende a colocação primária em mercado de ações novas emitidas pelas empresas e a negociação secundária (em bolsas de valores e no mercado de balcão) das ações já colocadas em circulação.

Mercado de Balcão
Mercado de títulos sem lugar físico determinado para as transações, que são realizadas por telefone entre instituições financeiras. São negociadas ações de empresas não registradas em bolsas de valores e outras espécies de títulos.


Mercado de Balcão Organizado
Sistema organizado de negociação de títulos e valores mobiliários de renda variável pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).


Mercado de Capitais
Conjunto de operações de transferência de recursos financeiros de prazo médio, longo ou indeterminado, efetuadas entre agentes poupadores e investidores por meio de intermediários financeiros.


Mercado de Opções
Tipo de mercado que compreende as operações feitas em pregão na bolsa de valores, relativas à negociação de contrato de opções de compra e de venda de ativos-objeto.


Mercado Financeiro
É o mercado voltado para a transferência de recursos entre os agentes econômicos. No mercado financeiro são efetuadas transações com títulos de prazos médio, longo e indeterminado, geralmente dirigidas ao financiamento dos capitais de giro e fixo.


Mercado Futuro
Mercado no qual são realizadas operações, envolvendo lotes padronizados de commodities ou ativos financeiros, para liquidação em datas pré-fixadas.


Mercado Primário
É nele que ocorre a colocação de ações ou outros títulos provenientes de novas emissões. As empresas recorrem ao mercado primário para completar os recursos de que necessitam, visando ao financiamento de seus projetos de expansão ou emprego em outras atividades.


Mercado Secundário
Mercado no qual ocorre a negociação dos títulos adquiridos no mercado primário, proporcionando a liquidez necessária.


Mercosul (Mercado Comum do Sul)
Acordo de livre comércio entre Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai, estabelecido pelo Tratado de Assunção, em 26 de março de 1991. Os objetivos principais do bloco econômico são o estabelecimento de uma tarifa externa comum, a adoção de uma política comercial comum e a coordenação de políticas macroeconômicas e setoriais dos seus membros. Embora nem todas as medidas acordadas tenham sido implementadas, o acordo aprofundou as relações entre os países membros. Em espanhol é conhecido como Mercosur.


Nafta (Acordo de Livre Comércio da América do Norte)
Conjunto de regras e acordos comerciais entre Canadá, Estados Unidos e México. O principal objetivo do bloco é constituir uma zona de livre comércio, visando à eliminação de barreiras às transações de bens, serviços e capitais a fim de gerar mais oportunidades de trocas comerciais e crescimento dos fluxos de investimentos entre os países membros. O Nafta, na sigla em inglês, foi estabelecido em 1994 como uma ampliação do FTA, acordo comercial dos Estados Unidos com o Canadá.


Negociação Comum
Realizada em pregão, entre dois representantes de diferentes sociedades corretoras, a um preço ajustado entre ambos.


Negociação Direta
Realizada sob normas especiais por um mesmo representante de sociedade corretora para comitentes diversos. Os interessados nesta operação devem preencher o cartão de negociação ou digitar um comando específico - no caso de negociação eletrônica - indicando que estão atuando como comprador e vendedor ao mesmo tempo.


Negociação por Terminais
Sistema eletrônico de negociação por terminais que permite a realização de negócios por operadores e corretoras credenciados nos mercados à vista, a termo e de opções, com papéis e horários definidos pela Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo).


No Preço (At the Money)
Opção de compra ou de venda cujo preço de exercício é igual ao preço à vista em que está sendo negociada a ação-objeto.


Nota de Corretagem
Documento que a sociedade corretora apresenta ao seu cliente, registrando a operação realizada, com indicação da espécie, quantidade de títulos, preço, data do pregão, valor da negociação, da corretagem cobrada e das taxas devidas.


Oferta de Direitos
Oferta feita por uma empresa aos seus acionistas, dando-lhes a oportunidade de comprar novas ações por um preço determinado. O valor, em geral, fica abaixo do preço corrente do mercado e dentro de um prazo relativamente curto.


Oferta Pública
São emissões de títulos públicos feitas pelo Tesouro Nacional e pelo Banco Central por meio de leilão eletrônico. As emissões podem ser realizadas com títulos registrados no Selic (Sistema Especial de Liquidação e de Custódia) e na Cetip (Câmara de Custódia e Liquidação).


OIB (Opções Sobre o Índice Bovespa)
Essas opções proporcionam aos seus possuidores o direito de comprar ou vender um contrato com referência no índice Bovespa em uma data determinada. O prêmio e o preço do exercício são expressos em pontos do índice e o valor é determinado pela Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo).


Opção
Derivativo que representa o estabelecimento de direitos e obrigações sobre determinados títulos, com prazo e condições pré-estabelecidos. A opção pode ser de compra (call) ou de venda (put).


Opção Coberta
Quando há o depósito, em bolsa de valores, das ações-objeto de uma opção.


Opção de Compra de Ações
Direito outorgado ao titular de uma opção de adquirir do lançador um lote-padrão de determinada ação, por um preço previamente estipulado, durante o prazo de vigência da opção.


Opção de Venda de Ações
Direito outorgado ao titular de uma opção de vender ao lançador um lote-padrão de determinada ação, por um preço previamente estipulado, na data de vencimento da opção.


Open Market
No sentido amplo, é qualquer mercado sem local físico determinado e com livre acesso à negociação. No Brasil, porém, tal denominação se aplica ao conjunto de transações realizadas com títulos de renda fixa, de emissão pública ou privada.


Operação Caixa
O investidor vende à vista um lote possuído de ações e o recompra, no mesmo momento, em um dos mercados a prazo. O custo do financiamento é dado pela diferença entre os preços de compra e de venda.


Operação de Financiamento
O investidor compra à vista um lote de ações e o revende imediatamente em um dos mercados a prazo. A diferença entre os dois preços será a remuneração da aplicação pelo prazo de financiamento. A operação de financiamento também pode ser definida como aquela em que o investidor vende uma ação à vista e compra uma opção de compra sobre essa ação.


Operador de Pregão
Representante de uma sociedade corretora que executa ordens de compra e de venda de ações no pregão de uma bolsa de valores.


Operador do Sistema Eletrônico
Representante de uma sociedade corretora que executa ordens de compra e de venda de ações e/ou opções pelo sistema de pregão eletrônico da Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo).


Ordem
Instrução dada por um cliente a uma sociedade corretora para a execução de compra ou venda de valores mobiliários.


Ordem Administrada
O investidor especifica somente a quantidade e as características dos valores mobiliários ou direitos que deseja comprar ou vender. A execução da ordem ficará a critério da corretora.


Ordem a Mercado
É aquela que deve ser executada ao preço médio do mercado no momento em que for recebida no Recinto de Negociações.


Ordem Casada
Composta por uma ordem de compra e uma outra de venda de um determinado valor mobiliário. Sua efetivação só se dará quando ambas puderem ser executadas.


Ordem de Financiamento
Constituída por uma ordem de compra (ou venda) de um valor mobiliário em um tipo de mercado e uma outra concomitante de venda (ou compra) de igual valor mobiliário no mesmo ou em outro mercado, com prazos de vencimento distintos.


Ordem Discricionária
É aquela feita por uma instituição, a ser executada dentro dos parâmetros do mercado, que representa um ou mais participantes ao mesmo tempo. A especificação e o preço a ser atribuído serão definidos por quem solicitar a ordem.


Ordem Limitada
Aquela que deve ser executada por um preço igual ou melhor do que o especificado pelo comitente.


Ordem On-stop
O investidor determina o preço mínimo pelo qual a ordem deve ser executada. A ordem on-stop de compra será executada quando, em uma alta de preços, ocorrer um negócio a preço igual ou maior que o preço determinado. A ordem on-stop de venda será executada quando, em uma baixa de preços, ocorrer um negócio a um preço igual ou menor que o preço determinado.


Oscilação
Variação, positiva ou negativa, verificada no preço de um mesmo ativo em determinado período de tempo.


Out of the Money (Fora do Preço)
Opção cujo preço de exercício é superior ao preço à vista da ação-objeto, no caso de opção de compra (call), ou inferior, no caso de opção de venda (put).


Overnight
Operações realizadas no open market por prazo mínimo de um dia. São restritas às instituições financeiras.


P/L
Significa preço sobre lucro. É um índice usado no mercado para comparar ações e identificar as baratas e as caras. O índice é calculado pela divisão do preço da ação pelo lucro líquido anual dessa ação. Mantidos os lucros constantes a divisão do preço pelo lucro (P/L) indica o retorno em anos do investimento, ou seja, o tempo para se retornar todo o capital investido.


Permissionária
Sociedade corretora especialmente admitida no pregão da bolsa de valores da qual não possui título patrimonial.


Posição em Aberto
Saldo de posições mantidas pelo investidor em mercados futuros e de opções.


Poupança
Parcela da renda não utilizada para consumo.


Prazo de Subscrição
Prazo fixado por uma sociedade anônima para que o acionista exerça seu direito de preferência na subscrição de ações de sua emissão.


Preço de Exercício da Opção
Preço por ação pelo qual um titular terá direito de comprar ou vender a totalidade das ações-objeto da opção.


Pregão
Sessão durante a qual se efetuam negócios com papéis registrados em uma bolsa de valores, diretamente na sala de negociações e/ou pelo sistema de negociação eletrônica.


Pregão Eletrônico
Sistema eletrônico de negociação por terminais que permite a realização de negócios, por operadores e corretoras credenciados, nos mercados à vista, a termo e de opções, com papéis e horários definidos.


Prêmio
Preço de negociação, por ação-objeto, de uma opção de compra ou venda.


Proventos
Significa o mesmo que benefícios e direitos. São dividendos, bonificações e/ou direitos de subscrição distribuídos por uma empresa a seus acionistas.


Put
Significa o mesmo que Opção de Venda de Ações. É um direito outorgado ao titular de uma opção de vender ao lançador um lote-padrão de determinada ação, por um preço previamente estipulado, na data de vencimento da opção.


Quadro de Cotações
Local no recinto de negociações das bolsas de valores onde os diversos preços e quantidades de ações negociadas são apresentados.


Quota (de fundo ou clube de investimento)
Parte de um fundo ou clube de investimento cujo valor é igual à divisão de seu patrimônio líquido pelo número existente de quotas.


Rateio
Divisão proporcional. Muito utilizada em ofertas públicas.


Recibo de Subscrição
Documento que comprova o exercício do direito de subscrição de ações ou de debêntures. O Recibo de Subscrição pode ser negociado na bolsa de valores.


Registro em Bolsa
O registro é uma condição para que a empresa tenha seus títulos cotados na bolsa de valores, desde que obedeça às normas estabelecidas.


Sala de Negociação
Também denominada Recinto de Negociação. Local adequado para o encontro dos representantes de corretoras de valores e a realização, entre eles, de transações de compra e venda de ações/opções, em mercado livre e aberto.


Selic (Sistema Especial de Liquidação e Custódia)
É um sistema informatizado administrado pelo Banco Central que se destina à custódia de títulos escriturais emitidos pelo Tesouro Nacional e Banco Central.


Série de Opções
Reúne opções com a mesma característica: tipo, ação-objeto, mês de vencimento e preço de exercício.


Sharpe
O Sharpe ou Índice de Sharpe foi criado pelo economista William Sharpe em 1966 e é um dos mais utilizados na avaliação dos fundos de investimento. É uma medida que expressa a relação entre o retorno e o risco de um fundo. Quanto maior for esse índice, melhor será o desempenho do fundo.


Sobras de Subscrição
Significa que o prazo para subscrição será ampliado. O direito à subscrição permanece e uma nova tentativa de subscrever os títulos restantes é realizada.


Sociedade Anônima
Empresa que tem o capital dividido em ações com a responsabilidade de seus acionistas limitada proporcionalmente ao valor de emissão das ações subscritas ou adquiridas.


Sociedade Corretora
Instituição auxiliar do sistema financeiro que opera no mercado de capitais com títulos e valores mobiliários, em especial no mercado de ações. É a intermediária entre os investidores nas transações em bolsas de valores. Administra carteiras de ações, fundos mútuos e clubes de investimentos, entre outras atribuições.


Sociedade Distribuidora
Instituição auxiliar do sistema financeiro que participa do sistema de intermediação de ações e outros títulos no mercado primário, colocando-os à venda para o público.


Split
Elevação do número de ações representativas do capital de uma empresa por meio de um desdobramento (aumento do número de ações sem a correspondente elevação do capital social).


Spread
Tem dois significados. Relação de preços entre ações de classes diferentes (ON e PN) ou entre ações de empresas diferentes dentro do mesmo setor. Em relação a uma operação de crédito, spread é a diferença entre as taxas de juros de aplicação e de captação de recursos financeiros.


Straddle
Compra ou venda de igual número de opções de compra e de venda sobre a mesma ação-objeto, com preços de exercício e datas de vencimento idênticos, por um mesmo investidor.


Subscrição
Lançamento de novas ações por uma sociedade anônima com a finalidade de obter recursos necessários para investimento.


Tag Along
O direito do Tag Along confere ao acionistas minoritários direitos comparáveis aos detidos pelos acionistas majoritários quando da alienação do bloco de controle da empresa. Os valores do Tag Along flutuam em função do nível de governança corporativa da empresa.


Titular de Opção
Aquele que tem o direito, e não a obrigação, de exercer uma opção.


Título Patrimonial da Bolsa
Operação realizada por uma sociedade corretora para aquisição de um título patrimonial da bolsa de valores, concedendo o direito de ingressar como membro da bolsa. Para realizar esta operação, a sociedade corretora deverá ter autorização e registro no Banco Central do Brasil.


Trading Post
Sistema de negociações contínuas, realizadas por meio de postos de negociações, que tem por objetivo homogeneizar os trabalhos, permitindo distribuição uniforme do fluxo de operações pela sala de negociações.


Underwriters
Instituições financeiras especializadas em operações de lançamento de ações no mercado primário. No Brasil tais instituições são, em geral, bancos múltiplos, bancos de investimento, sociedades distribuidoras e corretoras. Estas instituições mantêm equipes formadas por analistas e técnicos capazes de orientar os empresários, indicando melhores condições e oportunidades para a abertura de capital de uma empresa por meio de operações de lançamento.


Underwriting
Processo de lançamento de ações mediante subscrição pública. O lançamento é aberto para não-acionistas da empresa, mas os acionistas terão preferência se a subscrição for para aumento de capital. Nesta operação, a empresa encarrega um intermediário financeiro que será responsável por sua colocação no mercado.


Valor de Exercício da Opção
Preço de exercício por ação multiplicado pelo número de ações que compõem o lote-padrão de uma opção.


Valor de Face
É o valor de um título, de uma nota ou de uma obrigação expresso no certificado, como se fosse uma "etiqueta de preço". Geralmente, esse preço varia da emissão até o resgate. Porém, na data do resgate, paga-se exatamente pelo valor de face, exceto se houver atraso ou o não-pagamento. O valor de face é utilizado no cálculo do pagamento de juros. Exemplo: se o valor de face for $1.000 e os juros forem de 10%, o pagamento será de $100.


Valor Intrínseco da Opção
Quando, em uma opção de compra, a diferença entre o preço à vista da ação-objeto e o preço de exercício da opção é positiva, denomina-se Valor Intrínseco da Opção. A denominação também é válida quando a diferença entre o preço de exercício e o preço à vista, em uma opção de venda, é positiva.


Valor Nominal da Ação
Valor mencionado no estatuto social de uma empresa e atribuído a uma ação representativa de seu capital.


Valor Patrimonial da Ação
Resultado da divisão entre o patrimônio líquido e o número de ações da empresa.


Variação
Diferença entre os preços de um determinado título em dois instantes considerados.


Venda em Margem
Venda à vista de ações obtidas por empréstimo pelo investidor em uma sociedade corretora que opera em bolsa. É uma modalidade de operações da Conta Margem.


Volatilidade
Indica o grau médio de variação das cotações de um título em determinado período.


Voto
É o direito que o proprietário de ações ordinárias tem de participar das deliberações nas assembléias gerais. Algumas ações preferenciais também concedem esse direito ao titular.


VUA (Valor Unitário da Ação)
Quociente entre o valor do capital social realizado de uma empresa e o número de ações emitidas.


Yield to Maturity
Taxa de desconto que equaciona o valor presente do pagamento de juros e o valor do vencimento com o preço presente do título.


Zero Coupon Bond
Título que não paga juros durante sua vigência. É negociado com desconto sobre o valor de face. Sua rentabilidade é calculada pela diferença entre o preço de compra e o valor de face.

Bookmark and Share

0 Comments:

Postar um comentário

<< Home

Copyright © 2002 / 2014 HorusStrategy.com.br. Horus Strategy é marca registrada. Todos os direitos reservados.